No texto de estreia do nosso blog vamos tratar, obviamente, de tempo compartilhado. O que é? Para que serve? Como pode ser utilizado?

Se pudéssemos definir de maneira resumida, poderíamos dizer que tempo compartilhado é uma espécie de compra antecipada de períodos de hospedagem. Em linhas gerais um hotel ou resort – especialmente quando está sendo construído ou começando a funcionar – vende contratos de hospedagem futura, conhecidos como contratos de tempo compartilhado. Essa estratégia é utilizada, geralmente, por dois motivos:

  • Para levantar dinheiro para concluir a obra;
  • Para aumentar rapidamente o fluxo de caixa do hotel ou resort no início das operações.

Os contratos de tempo compartilhado são, costumeiramente, divididos em semanas. Em outras palavras, os compradores necessariamente precisam desfrutar de sete diárias em sequência no hotel ou resort. Em raros casos o contrato autoriza o fracionamento do período em partes menores de diárias.

Outra característica bastante comum nos contratos de tempo compartilhado é que eles dão direito a um grande número de semanas. Um contrato normalmente concede de 15 a 30 semanas de hospedagem no hotel ou resort.

Mas com tantas condições de uso, por que alguém compraria um contrato de tempo compartilhado? Para nos ajudar a responder essa pergunta, produzimos um vídeo:

A grande vantagem: o preço

A grande vantagem dos contratos de tempo compartilhado é o preço. Para atrair compradores – e consequentemente se capitalizar mais rapidamente – os hotéis e resorts vendem os pacotes de semanas por preços bem baixos.

Imagine o seguinte: o preço da diária de um resort é de R$ 400,00. Para ficar hospedado lá por uma semana, você pagaria R$ 2.800,00 e, em 20 semanas, R$ 56.000,00. Esse seria o valor total do conjunto de diárias equivalente a 20 semanas.

Para conseguir vender de imediato esse pacote de semanas, os hotéis e resorts aplicam descontos consideráveis sobre o valor total. Costumeiramente os descontos variam de 30 a 60%. Em outras palavras, o pacote de 20 semanas do exemplo sairia por um valor entre 23 e 40 mil reais! É um grande desconto! Mas a condição para aproveitá-lo é que o valor total, normalmente, deve ser pago a vista…

Para tornar a oferta ainda mais atraente, os hotéis e resorts costumam incluir, no contrato, vários benefícios: descontos nas taxas de alimentação – sejam elas meia pensão, pensão completa ou tudo incluído -; acesso a áreas exclusivas do empreendimento; descontos em atividades extras (como passeios, traslados ou acesso a parques anexos); e diversas outras vantagens.

As outras condições

Contudo, nem só de flores vivem os contratos de tempo compartilhado. Além das restrições que já citamos – impossibilidade de fracionar o período de uma semana; aquisição de longos períodos no mesmo contrato; necessidade de pagamento à vista –  muitos contratos trazem várias outras condições de uso.

A mais comum é a de não autorizar o uso de mais de uma semana do contrato por ano. Assim, se você comprou um contrato de 20 semanas, vai demorar 20 anos para consumi-lo.

Outra condição bem comum é a perda da semana no ano que você não consegue usá-la. Em outras palavras, se você, por algum motivo, não conseguiu ir para aquele hotel ou resort em um determinado ano, o direito à semana automaticamente se perde. Por isso o proprietário de contrato deve ficar bastante atento à data de “aniversário” do seu contrato – normalmente é ela quem define o período do seu “ano contratual”.

Bom, para contrabalancear a possível perda de uma semana, os contratos de tempo compartilhado trazem, em geral, outra condição bastante comum: eles autorizam a transferência de uma semana para outra pessoa, seja por doação ou aluguel. Nesses casos, o proprietário solicita a emissão do voucher da reserva em nome de outra pessoa. A vantagem para o viajante é que ele desfrutará dos mesmos benefícios que o proprietário de contrato tem direito: os descontos nas taxas de alimentação, o acesso às áreas exclusivas do empreendimento e os descontos nas atividades extras.

E então, você conhecia essa modalidade de hospedagem em hotéis e resorts? Você é proprietário de tempo compartilhado? Conte-nos mais da sua experiência com esse tipo de contrato aqui nos comentários!

E siga nosso blog! Seguiremos publicando conteúdos sobre o tema por aqui!